sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Cecil Beaton


Marilyn Monroe, 1956
Impressão a gelatina e brometo de prata
Colecção Gruber


Princesa Natalie Paley, cerca de 1930
Impressão a gelatina e brometo de prata
Doação Gruber


Cecil Beaton
1908-1980


Cecil Beaton desenvolveu gradualmente uma predilecção por
retratos fotográficos artísticos e estilizados, inspirados em
ilustradores anteriores como Edward Steichen. Construiu fundos
elaborados utilizando materiais vistosos, como espelhos ou celofane,
colocando os membros da sua família à sua frente com roupas
elegantes. Isso sugeria já o seu segundo talento, o de
cenógrafo e figurinista, que só muito mais tarde viria a aproveitar,
entre 1940 e 1970. A sua primeira exposição, numa galeria de Londres
pouco conhecida, em 1926, foi um êxito extraordinário que levou
a um contrato com a revista Vogue na qual permaneceria activo
como fotógrafo de moda até meados dos anos cinquenta. Em Hollywood,
nos anos trinta, fez retratos de estrelas de cinema nas atmosferas
um pouco surreais de cenários desocupados.
Em 1937, Beaton foi nomeado fotógrafo da corte da família real e,
durante a Segunda Guerra Mundial, foi correspondente de guerra
para o Ministério Britânico de Informação. A experiência adquirida
durante os anos de guerra influenciaram o estilo dos seus retratos,
que se tornaram menos caprichosos e sumptuosos para serem
mais claros e directos. TvT


FOTOGRAFIA
do século XX
Museum Ludwig de Colónia
Taschen

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial