quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Alquimia & Misticismo


As últimas visões de Hildegard von
Bingen, escritas em 1163-1173, têm a ver
com a integração do homem na ordem da
criação divina.
O amor divino do Filho surge-lhe no céu
sob uma forma cósmica, de cor vermelha,
só ultrapassada pela bondade do Pai.
Sobre o seu peito, viu a «roda do
mundo», onde ardiam dois fogos: o fogo
claro do amor e o fogo sombrio da justiça,
e ambos marcavam os limites extremos
do universo. As doze cabeças de animais
representam os ventos e as virtudes que
formam o sistema de correlações em que
o homem existe como coroamento da
criação.


Hildegard von Bingen, Liber Divinorum Operum, século XIII

Alquimia & Misticismo
O Museu Hermético
Taschen

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial