sábado, 7 de fevereiro de 2009

valter hugo mãe

poema da cumplicidade para a ana hatherly

era um homem interior, no interior das casas. consumia os lugares como se esgotasse o espaço à força do pensamento. não ficava muito tempo em parte alguma, seguia. diziam que, quando visto à socapa, sem se aperceber disso, vomitava tijolos. alguns de casas muito antigas pelas quais passara havia tantos anos. uma mulher, talvez a sua mulher, punha-se entre os tijolos e criava uma cozinha. alimentavam-se depois, os dois, de um misto de sauda­ de e inusitada capacidade de mudar



valter hugo mãe
folclore íntimo
cosmorama

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial