quarta-feira, 25 de maio de 2011

PAUL VERLAINE

SOBRE UMA ESTÁTUA

Quê?! Nesta estância balnear
- Repouso, tréguas, paz - contigo
De face ou dorso venho dar,
Canímedes, meu belo amigo!

Arrebata-te a águia, acaso
Com pena, do meio das flores;
Avara de efusões sua asa
Parece querer-te, se tu fores.

Oh! Não prò Júpiter tirânico,
Mas «pràs nuvens», talvez, plo visto.
E aquele olho que me dá pânico
Lança-te um olhar bem esquisito...

Fica connosco, ó bom rapaz!
Todo este tédio em que me movo
Distrai-o tu, como és capaz.
Pois não és nosso irmão mais novo?

  Aix-les-Bains, Setembro de 1889

PAUL VERLAINE
(1844-1896)
(in «Hombres e Algumas Mulheres»,
Tradução de Luiza Neto Jorge)

Etiquetas:

1 Comentários:

Blogger Maria Costa disse...

Gostei de fazer esta leitura.
Obrigada.

26 de maio de 2011 às 02:27  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial