sexta-feira, 12 de março de 2010

Joaquim Manuel Magalhães



A nuvem bulhenta / messe da azáfama

na proa de palha. / Ferrugem, derrame

a Cassiopeia? / e a Orion?

à ré o tufão / um hino e o orbe

poliedro mole / no tonel de um bombo.


Flamante retorta / gérmen prodígio

numa frigideira / a touca macela.

O circo do feno / lugre tropical

bolota, unguento / bigode, piolho

uma coca-cola?


Monadologia / papa revulsiva

e no alambique / missanga aquilina

a sensaboria. / Carimbo latrina

na laia reclame / a aceleração

adia irridente / uma gargalhada

à consignação.


O cílio da fibra / do protozoário

lamela, bactéria / no indefinido

o suco da amiba. / Retouça garrido

um exato mito. / Rumba do andaime

vitima, arquivo / a lava da síntese.


Joaquim Manuel Magalhães
Um Toldo Vermelho
Relógio d´Água
2010

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial